24/11/2020
OAB-PB realizará II Conferência Estadual de Direitos Humanos nos dias 10 e 11 de dezembro; participe


OAB-PB realizará II Conferência Estadual de Direitos Humanos nos dias 10 e 11 de dezembro; participe

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), irá realizar nos dias 11 e 12 de dezembro a II Conferência Estadual de Direitos Humanos da OAB-PB. Devido às regras sanitárias e restrições impostas pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), o evento será totalmente virtual.

Nesta edição, a Conferência terá como tema: “Democracia, Dignidade e Justiça Social no Brasil”. A programação da Conferência será divulgada nos próximos dias, mas as inscrições já estão abertas e podem ser feitas clicando AQUI

A presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-PB, Leilane Soares, destaca que “há muito a ser realizado para que os direitos humanos sejam verdadeiramente respeitados e cidadãos do mundo tenham assegurado o direito a uma vida mais digna e justa”. Ela ressalta que o projeto da Conferência foi desenvolvido visando promover educação em direitos humanos e como meio de celebração ao aniversário da Declaração Universal de Direitos Humanos.

“Temos vivido momentos de múltiplos conflitos, crescentes necessidades humanitárias e aumento do discurso de ódio. O desprezo e o desrespeito pelos direitos humanos resultam, ao longo dos anos, em atos bárbaros que ultrajam a consciência de todos que defendem um mundo amparado por justiça e liberdade. Defender os direitos humanos é interesse de todos, pois o seu respeito significa bem estar para cada indivíduo, estabilidade para cada sociedade e harmonia para o mundo”, afirmou.

“Cabe a nós, enquanto sociedade, unir esforços para a promoção de respeito a esses direitos e liberdades, adotando medidas de caráter nacional e internacional que assegurem o reconhecimento dos artigos que compõem a Declaração Universal de Direitos Humanos. Diante desta situação, o nosso desafio é reduzir significativamente a distância entre as normas de direitos humanos e a realidade da sua não aplicação. Um dos pontos essenciais para o trabalho em busca desta redução é popularizar a discussão sobre o tema e trabalhar na promoção de educação em direitos humanos”, acrescentou.